Sites de Namoro Usam Métodos Científicos Para Formar Casais

“Uma Dama e Dois Cavalheiros” por Johannes Vermeer (1632-1675)

*Traduzido por Amy Traduções do New York Times

Tenho checado sites de namoro na internet recentemente. Não, não estou no mercado (embora meu marido esteja um pouco desconfiado de toda essa “pesquisa”). Mas como muitos dos meus amigos usam tais sites, fiquei curiosa. E como todo mundo está procurando economizar dinheiro atualmente, queria saber se alguns sites eram mais eficazes – e, portanto, um melhor investimento – do que outros. Na época, eu não sabia a caixa de Pandora que estava abrindo com essa questão. A competição entre as empresas para provar que seu método tem mais validade científica é ferrenha. Existe de tudo, de questionários de compatibilidade de uma hora a testes de DNA. Mas como consumidora, é bastante difícil descobrir quão reais essas alegações são e, ainda mais importante, se elas fazem diferença na busca pelo amor eterno.

Jeffrey Lohr, professor de psicologia da Universidade de Arkansas que pesquisou com dois estudantes de pós-graduação algumas dessas alegações, é bastante cético.

“Parece para mim que todo mundo está fazendo propaganda de seu produto indo muito além das evidências disponíveis”, Lohr disse. “A efetividade no processo de compatibilidade é nula ou muito pequena.” Mesmo assim, o namoro na internet é um grande negócio. Por isso, não é surpresa que os serviços de namoro queiram prometer o máximo possível para seus clientes. Dados recentes de uma pesquisa da firma de investimento Piper Jaffray revelaram que os americanos gastaram US$ 1,2 bilhão em sites de namoro online em 2008, e a empresa previu que isso aumentaria para US$ 1,7 bilhão até 2013. Lohr elogia os esforços iniciais de Helen Fisher, professora de pesquisa do departamento de antrolopologia da Universidade Rutgers.

Fisher, que é anunciada com destaque no website Chemistry.com – uma ramificação do Match.com – estudou a química neural das pessoas apaixonadas. Ela se concentra em seis substâncias químicas específicas, que, segundo ela, estão relacionadas a certas características. Ela chama aqueles com preponderância de dopamina e noraepinefrina de “exploradores”, aqueles com serotonina são rotulados como “construtores”, aqueles com testosterona são chamados de “diretores” e aqueles com estrógeno e ocitocina são “negociadores”.

O teste de 56 perguntas que Fisher elaborou para o Chemistry.com ajuda a identificar construtores, exploradores e assim por diante. Ela também estudou 28 mil pessoas no website e descobriu que aqueles rotulados como exploradores tendem a escolher exploradores, que construtores tendem a escolher construtores, enquanto que diretores e negociadores frequentemente escolhem uns aos outros. Existe evidência de outros cientistas de que essas escolhas levam a relacionamentos de longo prazo felizes, embora “ninguém saiba com certeza”, Fisher disse. Isso, ela afirmou, é o próximo passo de sua pesquisa.

O pacote mensal do Chemistry.com custa US$ 49,95 e a assinatura mensal do Match.com custa US$ 35. O site de namoro eHarmony promove seu formulário de 258 perguntas, que leva cerca de uma hora para ser completado, como sendo a melhor maneira de encontrar um parceiro de longo prazo.

Gian Gonzaga, cientista de pesquisa sênior do eHarmony, disse que estudos conduzidos por sua empresa com pessoas casadas que se encontraram através do eHarmony e um grupo de controle que se conheceu de outras formas constataram que os casais do eHarmony eram mais felizes. O único problema, como Lohr aponta, é que os casais que se conheceram através do eHarmony estavam casados há apenas seis meses e “ainda estavam na fase da lua de mel”, enquanto que os casais do grupo de controle estavam casados há cerca de dois anos. Gonzaga reconheceu a diferença, mas disse que o estudo havia sido estatisticamente controlado, levando em conta a duração do casamento e outros fatores. Gonzaga está agora conduzindo um estudo longitudinal de cinco anos, acompanhando casais que estão noivos – aqueles que se conheceram através de seu website e os que se conheceram de outras formas.

Carol Goldman é uma das histórias de sucesso. Ela conheceu seu noivo, Todd Huttunen, através do eHarmony há cerca de um ano e eles vão se casar na semana que vem. Ela se inscreveu em inúmeros sites nos cinco anos após seu divórcio e, segundo ela, “beijou muitos sapos”. O primeiro homem que ela conheceu no eHarmony já era casado, conta, mas acrescentou que ela e Huttunen “combinaram fenomenalmente bem”.

James Houran, psicólogo de relacionamentos que desenvolveu “ferramentas de compatibilidade” para o Plentyoffish.com, um site de namoro gratuito, disse que seu trabalho mostrou que as pessoas que se conheceram através do site estavam mais satisfeitas em suas relações do que aquelas que se conheceram de outras formas. Seu sistema “é melhor do que o acaso, mas não sabemos quão melhor”, ele disse. “Mas sabemos que é melhor do que qualquer outro sistema.”

Artigos de Houran e Fisher sobre seus métodos estão em processo de serem revisados por especialistas de suas áreas, ambos disseram. A questão é saber o quanto os usuários realmente se importam com o fato dos métodos terem base científica. Uma amiga, que pediu para não ser identificada por não querer que seu filho soubesse que ela usava tais sites, disse que viu vários sites de namoro e escolheu aqueles que pareciam ter “menos pés-de-chinelos”.

Lá se foi a ciência

Meu amigo Mike entrou e saiu de sites de namoro online ao longo de vários anos e provavelmente conheceu de 40 a 50 homens. Ele disse que não entendia o que seu rótulo no Chemistry.com significava, embora gostasse de perguntar a seus pretendentes, “Como você se sente ao sair com um construtor e negociador?”. Ele tem menos interesse na ciência da coisa toda do que em simples números, já que, como um pai solteiro gay do subúrbio, ele tem dificuldade em encontrar alguém interessado em um relacionamento sério, ele disse. Todas as perguntas e ferramentas para combinar pessoas que pensam parecido são legais, ele disse, mas depois de levar um bolo recentemente, a questão que ele quer ver nos sites de namoro é: “Se você se marcou um encontro, você de fato vai aparecer?”

Se você acha que a química de fato pode ajudar você a encontrar aquela química, então talvez você queira tentar o teste de DNA, que aparentemente é a nova fronteira na criação de uma combinação de sucesso. Por US$ 99, o Genepartner.com oferece o envio de um kit para você esfregar no interior de sua bochecha. Você o envia de volta à empresa, com sede na Suíça, e recebe uma identidade GenePartner.

O projeto GenePartner, como a empresa afirma no website, foi inspirado em um estudo no qual voluntárias cheiraram camisetas vestidas por homens durante três dias consecutivos, e então avaliaram sua atração por eles. Os pesquisadores descobriram que as mulheres preferiam camisetas de homens que tinham os genes mais diferentes dos seus próprios. Os cientistas do GenePartner, afirma a empresa, então desenvolveram uma fórmula que determina com sucesso a compatibilidade genética. Após receber os resultados de sua amostra de DNA, você pode – por uma taxa extra – caçar sua alma gêmea genética no Genepartner.com.

Perguntei a Bonny Albo, que escreve sobre namoro online para o About.com, de propriedade do New York Times, o que ela achava sobre essas alegações e se seus leitores estavam particularmente interessados nas alegações científicas dos sites de namoro. “Recebo dos leitores perguntas sobre validade científica o tempo todo”, disse. Ela disse acreditar que alguns sites tenham uma ciência boa por trás. Seu perfil do eHarmony, por exemplo, acertou em cheio. “Mas”, ela disse, “ele me ajudou a encontrar o amor verdadeiro? Não.”

Então qual é o próximo passo? Albo falou sobre os encontros relâmpagos, ou “speed dating”, online, e sobre o namoro virtual do Second Life. Mas, ela disse, pode acabar sendo algo realmente radical – como abandonar o mundo online e voltar a conhecer pessoas através de amigos e familiares.

FONTE: Terra Tecnologia

Anúncios

Uma resposta to “Sites de Namoro Usam Métodos Científicos Para Formar Casais”

  1. Maria Aucélia Gomes Says:

    Ei pessoal! Ótimo artigo!
    Um bom exemplo sobre isso é o site Be2 Namoro Online, que possui testes científicos de personalidade, que garante que só lhe sejam apresentados solteiros compatíveis com a sua personalidade. Cada membro novo do be2 realiza o teste ao se registar, para obter um perfil e obter assim a análise das forças e das fraquezas da sua personalidade. Além disso o usuário recebe uma descrição da personalidade do seu par perfeito e uma lista de candidatos recomendados com o respectivo grau de compatibilidade nas diferentes áreas e o Índice-be2. Há áreas do perfil de personalidade de duas pessoas em que se recomenda que sejam similares e há outras áreas que convém que sejam opostas. Todos estes fatores fazem parte da seleção dos candidatos recomendados e fornecem a garantia que entrará em contato com pessoas realmente compatíveis consigo.

    Interessante, não é?!

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: