O Feminino e o Masculino

Feminino_MasculinoImagem: “As Bodas Do Casal Arnolfini” de Jan van Eyck (1390 — 1441)


Por Angelita Corrêa Scardua

Qual seria a diferença entre opor-se e complementar-se? Bem, podemos pensar que algo que se opõe não possui correlação e/ou afinidade com seu opositor. Por outro lado, aquilo que é complementar caracteriza-se por distinguir-se de sua contraparte ao apresentar traços que isoladamente são distintos, mas que em conjunto tendem a formar uma unidade. Tomemos como exemplo o dia e a noite, ora não resta dúvidas que esses dois ‘instantes’ temporais possuem características muito distintas: claro e escuro é apenas uma delas. Porém, é possível afirmar que nenhum de nós é capaz de pensar num período de 24 horas sem nos reportarmos automaticamente à distinção entre o dia e a noite. Logo, fica claro que embora diferentes, o dia e a noite constituem-se em representações distintas de um processo que é único. Leia o resto deste post »

Com quem sonham as mulheres

rousseaudreamImagem: “O Sonho” por Henri Rousseau (1844-1910)

Não importa se é o Brad Pitt ou um homem mal-encarado que perturba a sua noite: qualquer figura que apareça no sonho é um pedaço de você, indicando necessidades e desejos desconhecidos.

Por Fábio Sanchez

Um homem feio, violento e perverso aterroriza as noites de grande parte da população feminina. Não há força policial que consiga detê-lo, porque foi criado pelas próprias “vítimas” e só aparece quando elas estão dormindo, ou melhor, sonhando. Freqüentador assíduo dos consultórios de psicanalistas, esse homem mau é o animus, nome que define o lado masculino da mulher, usado pela primeira vez por Carl Gustav Jung, pai da psicologia analítica. A tarefa – não dos terapeutas mas das próprias sonhadoras – é  seguir o rastro desse vilão que, quase sempre, ostenta características que faltam a quem sonha. Leia o resto deste post »

Volta ao lar sem culpa

vermeer-milkmaidImagem: “A Leiteira” por Jan Vermeer (1632-1675)

Mais brasileiras decidem interromper deliberadamente a vida profissional em busca do equilíbrio familiar

Por Chantal Brissac e Eliane Trindade

As mulheres descobriram um novo caminho de volta para casa. Dito assim, há quem pense que, depois de tantos anos de lutas e uma inegável presença no mercado de trabalho, elas estejam abdicando de suas conquistas e retornando à inglória vida doméstica. Mas a questão agora não é voltar à condição de rainha do lar, e sim ter liberdade para decidir quando e como retornar, sem culpa ou patrulhamento feminista. Até as americanas, precursoras da emancipação, estão engrossando o time das novas donas de casa. Segundo o Departamento de Estatística de Saúde dos Estados Unidos, 30% das profissionais liberais da costa oeste americana voltaram para casa ao longo desta década. Os fatores para essa debandada geral são de ordem prática e emocional. Leia o resto deste post »

Mulher Elástico

Mulher ElasticoImagem: “Mulher Deixando o Psicanalista” por Remedios Varos (1908-1963)

Assim como a personagem do desenho animado, a mulher contemporânea tem de ser elástica para dar conta das demandas do cotidiano.

*por Maria Helena Fernandes

Em uma tarde de domingo caía uma fina garoa paulistana. Fui despertada de meus pensamentos  longínquos por uma solicitação dos meus filhos. Eles me pediam que os levasse para assistir ao filme Os incríveis, da Disney. Arrastada pelo entusiasmo deles, entrei numa longa fila, na companhia barulhenta de pais, avós e crianças que se acotovelavam na porta da sala do cinema, na tentativa de conseguir um bom lugar. Pipoca, Coca-Cola e chocolate! Enfim, bem instalados nas poltronas, esperamos o filme começar. Leia o resto deste post »

Perséfone Entre os Espaços

Persefone Entre os EspacosImagem: “Maria Madalena” por Georges de La Tour (1593-1652)

*Noeliza Lima

Este artigo fala da mulher atual, suas buscas e caminhos. Pretende-se apresentar o mito de Perséfone como a deusa criativa, sensível, intuitiva, cuidadora , características associadas a busca da mulher pós feminista, em seus espaços. Na introdução conta-se o mito de Perséfone, para logo mais revê-la na leitura de psicologia do gênero. Leia o resto deste post »

Dormindo com o inimigo. Mulher, feiúra e a busca do corpo perfeito

Dormindo Com o InimigoImagem: “Mulher Em Frente a um Espelho” por Christoffer Wilhelm Eckersberg (1783-1853)

*Por Joana V. Novaes e **Junia de Vilhena

O primeiro dia de um obeso numa academia de ginástica é sempre um evento. O meu, por exemplo, foi assim: meu marido precisou ficar meia hora dentro do carro, em frente à academia, me convencendo a entrar. Eu pensei, só tem gostosona lá dentro, o que é que eu vou fazer nesse lugar?

No filme Tudo Sobre Minha Mãe, o cineasta espanhol Pedro Almodóvar, ilustra bem a idéia do sujeito que deseja mudar sua aparência para ficar cada vez mais único, de acordo com o que queria parecer. Assim, o personagem do filme, um transexual chamado Agrado, que já havia realizado inúmeras intervenções plásticas, dizia: Uma pessoa pode se dizer mais autêntica quanto mais se aproxima de como sonhou ser. Leia o resto deste post »

A mulher moderna e o seu dinheiro

A Mulher Moderna e Seu DinheiroImagem:  “Queen Elizabeth I” por Nicholas Hilliard (1547-1619)

*Ana Lucília Rodrigues

A atividade profissional feminina adquiriu o direito à cidadania. É agora um valor e uma aspiração legítima. A condição pós-moderna se recusa a uma identidade constituída exclusivamente pelas funções de mãe e esposa.

Segundo o sociólogo Gilles Lipovetsky, está nova mulher concretiza uma ruptura histórica na identidade feminina, bem como nas relações entre os sexos. Esse novo modelo histórico é nomeado de a “terceira mulher”. A “primeira mulher” corresponderia a Eva da tradição judaico-cristã, ser nefasto e diabólico, agente da infelicidade do homem. A “segunda mulher” é posta em cena a partir da Idade Média, é uma espécie de anjo idealizado por sua beleza e qualidades “passivas”, é glorificada em verso e prosa pelos homens, ela está longe de conquistar sua autonomia individual diante do macho dominador. Leia o resto deste post »