Tecnologias de Informação e Subjetividade Contemporânea

*Por Fernanda Bruno

Indicadores são instrumentos de representação e medida de características de uma dada realidade ao longo de um determinado tempo. Inserem-se, assim, na longa tradição dos sistemas de classificação, os quais são sistemas de ordenação da realidade em categorias distintas (Bowker & Star, 1999). Em nossa cultura, a economia, a ciência, a política, a saúde, entre outros domínios, vêm sendo cada vez mais pautados por indicadores que ao mesmo tempo visam expressar o estado de coisas e orientar ações e decisões em cada um desses setores. Recentemente, vemos crescer enormemente a capacidade de indexar e classificar não apenas esses “grandes” setores das sociedades contemporâneas, mas também ações e comportamentos “menores”, individuais e cotidianos, como hábitos, gostos, interesses, formas de comunicação e sociabilidade etc. É dessa indexação das informações individuais, a qual constitui um sistema particular de classificação dos indivíduos e da subjetividade, que trataremos aqui. Continue lendo »

Anúncios

A Pressa é Inimiga da Perfeição

Quando fazemos as coisas com calma, colocamos mais atenção ao momento presente e erramos menos

*por Eugênio Mussak

“O tempo não pára”, diz Cazuza em uma poesia musicada que se transformou em uma espécie de hino à urgência de viver. A mensagem era: vamos fazer tudo o que for possível, mesmo que isso sirva apenas para constatarmos que o futuro repete o passado, em uma dança conhecida e cada vez mais frenética. Pense bem: não é o que fazemos todos? Eu, você, nossos amigos, vizinhos, colegas? Vivemos no mundo da velocidade, que é a face mais evidente da sociedade atual. Parece que o tempo sempre está escorrendo entre os dedos. A idéia predominante é de que o tempo não pára e que, como conseqüência, nós também não podemos parar. Chegamos a pensar que o ideal seria que nos antecipássemos ao tempo, sendo mais velozes que ele, como fez o deus grego Zeus, que se tornou o mais poderoso após destronar seu pai, Chronos, o deus do tempo. Continue lendo »

Brincadeiras Perversas

O bullying é caracterizado por violência recorrente, desequilíbrio de poder e intenção de humilhar; a prática, freqüente nas escolas, pode levar as vítimas à depressão e ao suicídio

*Por Cleo Fante

A violência e seus impactos são temas freqüentes nos debates nacionais e internacionais, especialmente quando se desdobram em tragédias que envolvem estudantes e instituições escolares. É fato que tais acontecimentos trazem à luz questões até então negligenciadas no passado, como a violência entre os estudantes. Continue lendo »

Telinha Multifacetada

O impacto dos padrões de comportamento e beleza estampados pela mídia na construção da subjetividade de crianças e adolescentes mobiliza saberes.

*Por Carolina Salles

Finalmente a mulher vai poder ir à praia com dignidade”. A frase proferida recentemente por um médico ao fazer propaganda de procedimentos utilizados no combate à celulite, em um canal de televisão, é o ponto de partida escolhido pela psicóloga Jane Felipe de Souza para pontuar o quanto o sexo feminino tem sido capturado por discursos persuasivos, vindos das mais diferentes áreas do conhecimento e ecoados pela mídia. “Mulheres e meninas aprendem hoje que o poder reside na sua capacidade de sedução. E para seduzir precisam ser belas. Se você não se rende a esse padrão, é vista como uma pessoa desleixada, que não se ama e não tem disciplina para seguir os ditames de uma dieta rigorosa, por exemplo. Persegue-se, assim, um modelo de beleza extremamente idealizado, que na realidade não existe”, explica. Continue lendo »

Mercado financeiro movido à testosterona

bagsmall2

Nível de hormônio masculino seria capaz de influenciar desempenhos de operadores da bolsa de valores: quanto mais, maiores as chances de aumentar os ganhos

*Por Geoff Brumfiel – Tradução de Nilza Laiz Nascimento da Silva

Os livros e os filmes geralmente retratam os operadores do mercado de capitais como jogadores “machões”. E pode haver realmente provas científicas que apóiem essa imagem da cultura popular: dois pesquisadores associaram os níveis de testosterona ao sucesso dos operadores da bolsa, em um mercado de ações de Londres. Continue lendo »

Moda, consumo, comportamento e tecnologia: reflexão inaugural

Moda_Consumo_Comportamento_Steven_MaiselImagem: Foto de Steven Meisel

*Por Ângela Rodrigues

Entendo o fenômeno moda hoje como um campo de interpretações que pode lançar luz, sobretudo sobre a relação do indivíduo com seu corpo, com os objetos, com o seu mundo, e porque não dizer com o espírito do tempo.

Ao pensarmos na relação do individuo com seu corpo salta aos olhos a importância que a moda desempenha na construção da subjetividade e na percepção que o indivíduo tem de sua corporeidade. O conceito de corporeidade nos remete a um individuo desprovido da dualidade cartesiana. Denota, um ser que se percebe como um corpo e uma mente amalgamados, indissociáveis, um ser biológico, mas também cultural que se autoproduz material e culturalmente o tempo todo. Nesse processo as produções simbólicas parecem ocupar um papel importante. Continue lendo »

A DECORAÇÃO INTERNA DA CASA, SEGUNDO OS TRAÇOS DE CARÁTER

decorao_carter

Nara Trevizan


Neste artigo, trago uma proposta de pesquisa na interface entre a Arquitetura e a Psicologia dentro de uma abordagem reichiana, buscando obter diretrizes para aproximar a intervenção arquitetônica nos espaços residenciais às necessidades, desejos e traços de caráter de seus usuários.(…)


Esse assunto sempre me pareceu vasto e fascinante(…) que todos nós habitamos “um lugar” e, porque nossa casa é um universo único, onde os significados tomam forma e são distribuídos obedecendo uma ordem que revela quem somos e como nos posicionamos nesse espaço que nos acolhe e protege. Continue lendo »