Doenças Psicossomáticas e Somatização

Doenças de fundo emocional são estudadas há muito tempo pela psicologia, a psicossomática é um tema fascinante e fala sobre a intercomunicação mente x corpo. Muito se fala sobre o poder de nosso cérebro sobre a saúde e nos faz pensar: já que somos “poderosos” em criar doenças será que podemos aplicar este poder na cura das doenças? Seu cérebro pode ser o seu próprio médico?… Doença psicossomática e Somatização se referem a aspectos diferentes do mesmo ponto: a influência da mente sobre a saúde de nosso corpo. Continue lendo »

Anúncios

Estilo de Vida e Estresse

Por *Carlos Laganá de Andrade e **Roseli Okabe

Viver é estar sob estresse. Ser humano é experimentar mudanças, triunfos, amor, raiva, perdas, prazer, fracassos, dor, alegria, medo. O termo estresse aplica-se a qualquer estímulo ou mudança no meio externo ou interno gerador de tensão, que ameaça a integridade sócio-psicossomática da pessoa, seja diretamente, por suas propriedades físico-químicas, biológicas ou psicossociais, seja indiretamente, devido a seu significado simbólico. O estresse não é um aspecto novo da vida. É o produto da interação entre um indivíduo e o meio em que vive. O homem moderno parece viver de modo a facilitar a criação de um ambiente estressante. As tensões da vida de hoje refletem sua dificuldade de adaptar-se com rapidez suficiente às novas mudanças que ele mesmo está provocando em seu meio ambiente e na sua maneira de viver. Continue lendo »

De Bem Com as Emoções

Pesquisas comprovam que bom humor, pensamento positivo e amor são tão importantes quanto remédios na busca de uma vida saudável.

*Por Lia Bock

Muito certo estava o rei Roberto Carlos ao cantar: “O importante é que emoções eu vivi.” Depois de décadas apostando que a tecnologia era a chave para a cura de males do corpo, a ciência pisa no freio e começa a comprovar que as emoções e os sentimentos estão diretamente ligados à saúde. Nos Estados Unidos, berço de algumas das mais importantes pesquisas médicas, a comunidade científica está convencida de que o estado de espírito conta pontos valiosos para o tratamento de pacientes. A tese é sustentada pela hematologista Esther Sternberg, do National Institute of Mental Health, em Maryland. “Hoje os médicos daqui respeitam a relação entre o emocional e o físico. Há muito tempo há indícios de que ela existe, mas agora temos as provas que faltavam”, disse em entrevista a ISTOÉ. Esther é autora do livro The balance within: the science connecting health and emotions, lançado em maio nos Estados Unidos. A obra é uma das primeiras a colocar de forma clara e com comprovações científicas a conexão entre cérebro, sistema imunológico e emoções. Continue lendo »

Agressividade X Sobrevivência: Desafio Para a Masculinidade

Plutão” por Agostini Carracci (1557-1602)

*Por Angelita Corrêa Scardua

Para a maioria dos nossos antepassados do sexo masculino só havia dois comportamentos possíveis diante do perigo: lutar ou fugir! Mas, por incrível que pareça, a resposta fisiológica desencadeada pelo corpo diante de uma ameaça é sempre a mesma, e não importa se a nossa escolha é lutar ou fugir.

Quando nos vemos diante de uma situação que nos ameaça, quando nos sentimos amedrontados, pressionados e desafiados, nosso corpo reage exatamente como o dos nossos ancestrais das cavernas: a taxa de adrenalina no sangue sobe, nossa musculatura se contrai, o coração bate mais forte e a circulação de sangue no organismo aumenta; transpiramos, nossas pupilas se dilatam, nossas narinas se expandem para absorver mais oxigênio… Resumindo: o nosso corpo nos prepara para enfrentar o perigo, seja ele real ou imaginário. Toda essa preparação física serve igualmente para o embate “corpo a corpo” e para o estratégico “sebo nas canelas”. Tanto correr quanto lutar exige tonicidade muscular, acuidade visual, maior quantidade de sangue irrigando nossas veias e maior oxigenação dos pulmões. Continue lendo »

A Roupa Como Linguagem

Ellen_Von_Unwerth
Imagem: Foto de Ellen Von Unwerth

*Por Sergio Lage

As roupas não são apenas vestimentas que protegem o corpo ou adereços e adornos que nos embeleza. As roupas, como todos os objetos usados no cotidiano pelos homens, são partes da nossa existência diária, traduzem estados de espírito e identidades pessoais.

Elas preenchem o mundo de sentido e significado e nos ajudam a construir diversas narrativas e expressões sobre nós mesmos: sobre quem somos ou como queremos ser vistos, a nos diferenciar ou criar identificações, a ocupar posições ou oposições dentro do grupo. Continue lendo »

Moda, consumo, comportamento e tecnologia: reflexão inaugural

Moda_Consumo_Comportamento_Steven_MaiselImagem: Foto de Steven Meisel

*Por Ângela Rodrigues

Entendo o fenômeno moda hoje como um campo de interpretações que pode lançar luz, sobretudo sobre a relação do indivíduo com seu corpo, com os objetos, com o seu mundo, e porque não dizer com o espírito do tempo.

Ao pensarmos na relação do individuo com seu corpo salta aos olhos a importância que a moda desempenha na construção da subjetividade e na percepção que o indivíduo tem de sua corporeidade. O conceito de corporeidade nos remete a um individuo desprovido da dualidade cartesiana. Denota, um ser que se percebe como um corpo e uma mente amalgamados, indissociáveis, um ser biológico, mas também cultural que se autoproduz material e culturalmente o tempo todo. Nesse processo as produções simbólicas parecem ocupar um papel importante. Continue lendo »

A construção do corpo e as estratégias da moda I

Construcao_do_Corpo_I_Javier_VallhonratImagem: Foto de Javier Vallhonrat

*Por Nízia Maria Souza Villaça

Ser humano é um esforço histórico, afirma Edward Bond na Folha de S. Paulo, e ressalta a importância do gênero dramático como expressão de nossa inquieta e fraturada humanidade. A edição do corpo humano faz parte do diálogo entre nossas expectativas, nossas apostas, descrenças e decepções. É necessário refletir as estratégias identitárias, individuais e coletivas, inseridas na edição do corpo na mídia, considerando, sobretudo, o desenvolvimento de novas tecnologias comunicacionais e biológicas por meio das quais a ciência, a arte e a moda, progressivamente, cruzam-se na tarefa dramática de ressemantizar o estatuto corporal. Continue lendo »