De Amélia a Gisele

Tese e exposição mostram que casa e beleza ainda ditam a imagem da mulher na publicidade.

*Por Martha Mendonça

Mãe, esposa, dona de casa, sexo frágil, dominadora, femme fatale. O papel da mulher na publicidade mistura imagens como estas, refletindo seu comportamento na sociedade e, mais ainda, os estereótipos que vivem no imaginário popular. A evolução da mulher na propaganda será um dos focos da exposição em homenagem aos 80 anos do jornal O Globo, em setembro, no Rio de Janeiro. Também foi tema da tese de mestrado Mulher, Sedução e Consumo: Representações do Feminino nos Anúncios Publicitários. ”Adaptações estéticas à parte, pouca coisa mudou”, diz a autora, Andiara Pedroso. Para ela, os grandes temas ainda são os mesmos: a casa e a beleza. Continue lendo »

Anúncios

Trabalho Como Fonte De Prazer (ou não)

“Chorinho” por Candido Portinari(1903-1962)

*Por Antonio Roberto Fava

É preciso trabalhar para ser feliz? O que há no trabalho que torna as pessoas felizes ou infelizes? As questões foram tema central da conferência do professor e sociólogo Christian Baudelot, nos últimos dias 29 e 30, durante as comemorações dos 30 anos de criação da Faculdade de Educação (FE) da Unicamp, e constam do livro Bonheur et Travail (Felicidade e Trabalho), a ser lançado brevemente no Brasil, em parceria com Roger Establet. No livro, os autores concluem que a felicidade no trabalho se dá com a realização profissional, a criatividade, o trabalho bem feito e o sentimento de ser útil. Continue lendo »

Crimes Passionais e Suas Implicações

domestic_violence_080207_ms

*Por Amanda Gabriela Oliveira Tundis

Segundo o dicionário Miniaurélio (2001) a paixão é traduzida em “um sentimento forte como amor ou ódio levado a um alto grau de intensidade, uma atividade, hábito ou vício dominador”.

Todavia, de acordo com o Vocabulário Jurídico (1999), em linguagem jurídica chama-se de passional apenas os crimes cometidos em razão de relacionamento sexual ou amoroso. A paixão aqui, junto à área criminal, relaciona-se à “paixão pela mulher, de onde geram os ciúmes, o amor ofendido, capazes de provocarem as emoções, que alteram ou afastam a serenidade do outro”. Porém, no que concerne ao dano doloso movido por paixão, este é um crime que acontece muitas vezes pelo ódio, possessividade, ciúme patológico, busca de vingança, prova de poder, não tolerância à frustração, entre outros. Ainda com conceituações do Vocabulário Jurídico (1999) como o próprio nome diz, o crime é doloso quando o agente teve a intenção maldosa de praticar o dolo a alguém ou assumiu o risco de produzi-lo. Continue lendo »

A Vida Sexual dos Brasileiros

Ambiance_carnival

Baseado em um levantamento bastante completo sobre a vida conjugal e sexual dos brasileiros, patrocinado pelos laboratórios Pfizer e coordenado pela psiquiatra Carmita Abdo, do Projeto Sexualidade do Hospital das Clínicas, de São Paulo, alguns dados podem ser muito curiosos e despertam reflexões igualmente interessantes.

A pesquisa recolheu informações de quase 3.000 homens e mulheres entre 18 e 70 anos, de todas as classes sociais. A média nacional de relações é de três por semana. Esse número pode parecer exagerado aos casais que entraram no inevitável período de estabilização, mas ele é um pouco maior que a média de relações nos Estados Unidos. Continue lendo »

Erotismo e Pornografia

woman-legs

*Por Fabiano Puhlmann Di Girolano

Sexualidade é componente fundamental de todo ser humano, é uma modalidade global do ser nos confrontos dos outros e do mundo, vinculando-se a intimidade, a afetividade, a ternura, a um modo de sentir e exprimir-se, vivendo o amor humano e as relações emocionais e afetivo – sexuais; é contato, relação corporal, psíquica e sentimental, é o desejo voltado a pessoas e objetos, é sonho, prazer, mas também sofrimento; é pressentimento do futuro, consciência e plenitude do presente, memória do passado, sentimentos que se alternam, se cruzam de modo imprevisível, exigindo uma progressiva capacidade de compreensão e aceitação, sempre vinculadas a intensas sensações corpóreas. Continue lendo »

Qual é a medida do prazer?

dorso_01

Por Náira Malze  – *Com atualizações feitas pela entrevistada
Revista.AG (A Gazeta/ES) – 27/04/2008

Esse título pode surpreender – e até chocar – muitos machos que buscam provar a masculinidade justamente pelo órgão sexual. Mas, fisiologicamente, é a única explicação para a crença de que “tamanho determina o prazer”.

Como descreve a psicóloga clínica, mestre em desenvolvimento adulto e felicidade pela USP, Angelita Scardua: na anatomia masculina, há uma proximidade entre o ânus e a próstata, separados apenas pelo períneo. A próstata é responsável por grandes níveis de prazer. Tanto é que se estimulada leva à ejaculação e ao orgasmo. Considerando que ela é a parte mais sensibilizada durante o sexo anal – teria mais sentido dizer que o tamanho do pênis tem uma dose extra de significado nas relações homossexuais já que, durante a penetração, quanto maior o pênis, mais estimulada seria a próstata e maior seria a onda de prazer. Continue lendo »

O Paradoxo Das Francesas

paradoxo-das-francesas

Invejadas pela magreza e elegância, elas seguem comendo gorduras, doces e tudo o que é bom.


Por Flavia Varella, de Paris

Nas ruas de Paris, as mulheres chamam atenção pelo corpo esbelto e elegante. Nos restaurantes, impressionam pelo que comem: entrada, prato principal, molhos suculentos, queijo, um copo de vinho e doce de sobremesa. O pão, naturalmente, acompanha tudo. É a versão feminina do “paradoxo francês”, o fenômeno que intriga pesquisadores da área médica, em especial americanos e ingleses, dedicados a entender por que os franceses, mesmo comendo alimentos ricos em gordura, apresentam baixos índices de mortalidade por doenças coronarianas. Na estética, multiplicam-se os livros que ensinam como transpor para outras nacionalidades a persistente esbelteza das francesas. Anne Barone, uma americana que morou alguns anos na França, já escreveu três, de uma série que intitulou Chic & Slim (Chique e Magra), e mantém um muito visitado site na internet – tudo para mostrar como, após ter sido gorda por 25 anos, conseguiu perder peso e ficar magra imitando o modo de vida das amigas. Continue lendo »