A Calúnia e a Fofoca

Fofoca” por Albert Edelfet (1854-1905)

*Por Roque Theophilo

Calúnia é um termo que vem do latim, calumnia, engodo, embuste. A calúnia não se confunde nem com a difamação nem com a injúria, outros dois crimes contra a honra. A difamação (do latim diffamare) significa desacreditar, sendo um crime que consiste em atribuir a alguém fato ofensivo à sua reputação de pessoa fiel à moralidade e aos bons costumes. Não se confunde com a calúnia, pois esta consiste numa imputação injusta de fato tipificado como crime. Na difamação o que se busca é desacreditar a vítima, embora sem apontá-la como autora de fato criminoso. Exemplo: afirmar que um homem solteiro, de hábitos reconhecidamente morigerados, freqüenta prostíbulos. Trata-se, enfim, de uma imputação de fato desairoso à reputação da vítima. Continue lendo »

Anúncios

Sonho

Titânia em um Sonho de Uma Noite de Verão” por Frank Cadogan Cowper

Evocando a faculdade potenciadora do imaginário e da fantasia, o sonho apresenta-se como um processo psico-fisiológico em que uma sequência de imagens e vivências, que ocorrem durante o sono, se articulam numa estrutura de associações figurativas, assumindo pois a forma de uma linguagem simbólica. Enquanto linguagem simbólica, não há uma associação directa entre os elementos desta estrutura e seus significados, ou seja, as imagens presentes e concretas remetem para imagens ausentes e abstractas. Como tal, assemelha-se a uma alegoria em que a linguagem imagética se faz por conteúdos simbólicos (manifestos), cujo sentido profundo (latente) é passível de ser descodificado. Continue lendo »

Relacionamentos Amorosos: “Prevenir é melhor do que remediar”?

“Tampuhan (Desentendimento)” por Juan Luna (1857-1899)

*Por Eugênia Marques de Oliveira Melo

Segundo Skinner (1953/2003), comportamento social é a interação de duas ou mais pessoas que se comportam de maneira a influenciar o comportamento da outra e juntas modificam o ambiente no qual estão inseridas. Então, segundo essa definição, a relação conjugal é comportamento social. Por exemplo, se o namorado manda mensagens para o celular da namorada dizendo que a ama, aumenta a chance desta responder a mensagem de forma carinhosa e de sentir felicidade, sentimento produzido pelo comportamento do namorado. A partir dessa ação recíproca, na qual cada parceiro tem sua parcela de responsabilidade, o relacionamento se constrói. No entanto, toda relação é composta tanto de eventos “bons” e “ruins” e a freqüência de cada um desses episódios se dará, em grande parte, devido à interação do casal. Continue lendo »

Psicologia de Elevador

O meio de transporte, tão comum nas grandes cidades, nos obriga a dividir nosso espaço vital com estranhos e coloca à prova a capacidade de comunicação

*por Massimo Barberi

O elevador é o meio de transporte mais usado nas grandes cidades. Só em São Paulo estima-se que existam mais de 270 mil unidades. E cerca de 8 mil novos são instalados a cada ano no Brasil. A caixa metálica iluminada, com painel de botões e, em alguns casos, um espelho, proporciona o deslocamento vertical de forma muito simples e eficaz – e também explicita modos de interagir. Há os que se sentem donos da situação, justamente porque se encontram em uma área restrita. Outros experimentam o desconforto de compartilhar o espaço vital, tão exíguo, com desconhecidos e, intimidados, torcem para chegar logo ao andar de destino. Existem ainda aqueles que usam o local para jogos sexuais O fato é que cada um de nós tem uma forma de enfrentar o elevador. Com exceção, obviamente, dos que sofrem de claustrofobia e preferem a escada. Continue lendo »

Papeando sobre conhecimento e Ano Novo…Metamorfoses necessárias

2009 está chegando ao fim, e nós do grupo Papeando Com a Psicologia estamos satisfeitos por termos conseguido dar continuidade ao nosso propósito de divulgar o conhecimento psicológico. O que foi possível ao compartilhamos mais um ciclo de debates com todos vocês que nos visitaram, aqui no mundo virtual e nos nossos encontros ao longo deste ano.

Tendo a Psicologia como ponto de partida, tivemos a oportunidade de debater 11 temas diferentes: Contos de Fada, Comida, Casa, Mal, Mulher, Moda, Sexo, Esoterismo, Mente Criminosa, Dinheiro e Trabalho. Em todos foi gratificante a participação de pessoas com as mais diferentes formações. A diversidade de temas e de visitantes, que caracteriza os encontros do Papeando, tem permitido uma troca singular de idéias sobre a vida e o conhecimento que tenta explicá-la. Continue lendo »

À Noite Dormimos…Nos Divertimos e Trabalhamos!

Sem Título” por Alex Vallauri(1949-1987)

*Por Angelita Corrêa Scardua

Você já se imaginou vivendo para sempre em vigília, ininterruptamente? Provavelmente você sentiu até um certo cansaço ao pensar numa resposta para essa pergunta. É óbvio, se não provável, que a resposta razoável a tal pergunta é, não! Talvez você até goste de imaginar a possibilidade de ampliar o tempo disponível para as suas atividades, o que é bastante compreensível. Mas é difícil imaginar que você ou qualquer outra pessoa pense em fazê-lo sem descanso. Continue lendo »

Psicologia Econômica

CB006499

Cientistas laureados com o Prêmio Nobel de Economia estudaram a influência de fatores psicológicos na hora da tomada de decisão

*Publicado em 30/10/2002

Para quem não faz parte do mundo financeiro, economia e psicologia parecem ciências completamente diferentes e sem qualquer ligação. Entretanto, a relação entre estas duas áreas sempre foi discutida no meio econômico, sem que se chegasse a alguma conclusão. A partir de agora, isso pode começar a mudar. Dois cientistas norte-americanos, o economista Vernon Smith e o psicólogo Daniel Kahneman, foram laureados com o Prêmio Nobel de Economia deste ano exatamente por serem autores de teorias que provam cientificamente que não é possível depender apenas da matemática para tomar decisões econômicas. Segundo eles, às vezes, o lado psicológico de um investidor pode até ser mais importante do que seu conhecimento financeiro. Continue lendo »